Presidente da Conaje, Guilherme Gonçalves

Sócio do escritório Moraes & Gonçalves Advogados, da empresa Chicken Way e da G4 Empreendimentos Imobiliários, Guilherme Gonçalves tem bastante experiência no universo empreendedor. Atuou como diretor jurídico da Confederação Nacional de Jovens Empresários (Conaje) no período de 2015/2017, foi 1º Vice-Presidente Executivo do Conselho Estadual do Jovem Empreendedor de Santa Catarina (Cejesc) na gestão 2013/2015, integrante da Comissão de Direito da Inovação, Propriedade Intelectual e Combate à Pirataria da OAB/SC (Gestão 2012/2015), entre outros cargos. Agora, Guilherme assume um grande desafio – a presidência da Conaje na gestão 2017/2018.

Segundo ele, as expectativas são as melhores possíveis com a nova posição. “O desafio é imenso e tenho certeza que o trabalho e aprendizado serão incessantes. Existe um time de pessoas motivadas e engajadas a fazer o melhor pelo ambiente empreendedor brasileiro, isso aumenta a responsabilidade e ao mesmo tempo motiva para que façamos o melhor”, ressalta. Nesta entrevista, ele fala dos objetivos da nova gestão, as principais demandas do jovem empreendedor e avaliação do cenário jovem empreendedor no Brasil. Confira!

Atuar no universo do empreendedorismo jovem e do associativismo não é uma tarefa fácil. Tem consciência dos desafios que enfrentará? Quais serão?
Guilherme Gonçalves – Os desafios serão enormes, não tenho dúvidas. Porém, também tenho convicção que tudo o que eu pensar será menor do que o que realmente está por vir. Dizer que está preparado é um tanto quanto prepotente, muito embora se espere isso de quem está na liderança. Além de tudo isso, existe o desafio de equilibrar a rotina familiar, empresarial e associativista. Esse, por si só, já é um desafio gigante, pois serão muitas horas de trabalho, viagens e dedicação.

A Conaje tem buscado atender as demandas do jovem empreendedor. Tanto é que desenvolve uma pesquisa para conhecer melhor o perfil desse público. Mas na sua visão, hoje quais são as principais demandas ou necessidades do empreendedor jovem?
Guilherme Gonçalves – A resposta está na própria pesquisa de perfil do jovem empreendedor, que neste ano iniciaremos os trabalhos da 3ª edição. A pesquisa revela que o jovem precisa de apoio e qualificação/aperfeiçoamento nos temas de planejamento, gestão de pessoas e finanças. Além disso, a questão da carga tributária é outro grande obstáculo ao jovem que está no início do seu negócio. Esperamos aperfeiçoar as perguntas da pesquisa e nos aprofundar ainda mais no conhecimento de necessidades do jovem empreendedor, atuando até mesmo em relação a necessidades/interesses de consumo. Tudo isso é uma grande matéria-prima para o desenvolvimento de ações e proposição de políticas públicas em prol do jovem empreendedor e também da melhora do ambiente de negócios em nosso país.

Quais são suas metas e objetivos para a Conaje no período de 2017/2018?
Guilherme Gonçalves – Nossos objetivos são bem claros. Pretendemos trabalhar de maneira enxuta, com poucos objetivos estratégicos, mas todos claros para que toda a equipe saiba exatamente o resultado a alcançar. Nossas metas para o período de gestão são apresentar um modelo de gestão para aplicar aos associados da Conaje, solidificar produtos e serviços que gerem receitas recorrentes à Conaje e seus associados, contribuir para que os associados se fortaleçam enquanto instituição, discutindo os problemas comuns a todos eles e propondo soluções. Além disso, os associados da Conaje esperam posicionamentos institucionais acerca dos temas que afetam diretamente o jovem empreendedor, especialmente nas áreas tributárias e trabalhistas.

Que projetos e ações serão fundamentais nos próximos anos? Por quê?
Guilherme Gonçalves – Aperfeiçoamento da pesquisa do perfil do jovem empreendedor, pois é o projeto que nos faz conhecer as necessidades do público alvo da Conaje. Modelo de gestão, pois dará condições de crescimento sustentável a todos os associados. Desenvolvimento de produtos e serviços, pois darão mais conforto à Conaje e seus associados em relação à questão financeira.

A Confederação tem atuado sempre com parceiros. Isso será uma prática na sua gestão também? Por quê?
Guilherme Gonçalves – Atuar com parceiros facilita o trabalho, não só da Conaje, mas de todos os parceiros também. O associativismo pressupõe trabalho em parceira, isso é essência do modelo associativista. Por esse motivo, a Conaje sempre estará de portas abertas para firmar parcerias que atendam aos seus objetivos estratégicos.

Você já tem convidado pessoas para compor a diretoria e coordenação da Conaje. Que critérios têm utilizado para essa escolha? Por quê?
Guilherme Gonçalves – Sempre digo que no associativismo não importa o cargo, mas sim a vontade de trabalhar. Esse ponto é fundamental, pois, apesar de sermos um movimento voluntário, o encargo assumido implica em compromisso e responsabilidade. Sem esses requisitos o trabalho não atingirá o resultado esperado. Esses são os critérios, vontade, compromisso e responsabilidade. Além disso, é desejável que as pessoas convidadas tenham conhecimento sobre o funcionamento do sistema associativista e também da própria Conaje, especialmente os diretores.

Qual sua avaliação do universo do empreendedorismo jovem no Brasil? O que ainda precisa avançar?
Guilherme Gonçalves – Vivemos um momento de transição nos modelos de negócios. Existem profissões que logo se extinguirão. Além disso, estamos num período de profundas discussões e reformas em nosso país. Diante desse cenário, percebo que o universo de empreendedorismo jovem no Brasil vem se fortalecendo ano após ano. Os jovens são ávidos pelo trabalho e por em prática suas ideias e sonhos. Por isso, o cenário é positivo e tende a melhorar. Lógico que temos muito a avançar. A cultura do empreendedorismo deve ser estimulada desde a infância. A atividade empreendedora deve ser vista com bons olhos por toda a sociedade. Quem se dispõe a sacrificar seu dinheiro e tempo em prol da coletividade, gerando empregos e rendas deve ser valorizado sempre.

Assessoria de Imprensa Conaje:
imprensa@conaje.com.br
Fernando Dantas – (62) 99227-2631